Vinho e Saúde

Bebemos vinhos por prazer. Mas muitos consumidores bebem vinhos por causa dos seus benefícios à saúde. Existem milhares de estudos clínicos realizados ao redor do mundo nos últimos 25 anos que associam o consumo moderado e regular de vinhos à prevenção de doenças.

O Dr. Jairo Monson de Souza Filho, em Vinho é Saúde (2014), resume alguns benefícios associados ao consumo de vinho:

  • Os polifenóis presentes no vinho, por sua ação antioxidante, são capazes de matar um grande número de bactérias e inibir o crescimento de vários vírus.
  • Os consumidores regulares de vinhos têm menos doenças cardiocirculatórias, conforme observado no estudo denominado Paradoxo Francês.
  • As pessoas que bebem vinho moderadamente, durante as refeições e regularmente, tem 20% menos câncer de uma maneira geral.
  • O vinho melhora a consistência, elasticidade, hidratação e microcirculação da pele. A ação dos polifenóis do vinho na recuperação da pele é impressionante.
  • As mulheres que tomam regularmente de duas a três taças por dia ganham massa óssea e tem menos osteoporose. Além disso, tem atenuadas as manifestações do climatério e menopausa.
  • O vinho tem ação anti-inflamatória que proporciona diminuição das manifestações de artrites e artroses.

Mas, um alerta é sempre importante fazer: mesmo com todas estas propriedades, o vinho contem álcool, por isso a necessidade da moderação. Os pesquisadores que percebem as benesses dos vinhos recomendam doses-limite diárias seguras para o consumo: 150ml para as mulheres e entre 200 e 300ml para os homens. Ainda assim para alguns pesquisadores não há outra bebida alcoólica que possa trazer tantos benefícios à saúde.

E vale um lembrete básico: vinho não é remédio. É um alimento para adultos que vale ser consumido tanto pela cultura que agrega, quanto pelo prazer ou bem-estar que proporciona.

Saúde!

Deixe uma resposta