Classificação:
100 % of 100

Família Bebber Reserva Malbec

SKU
34553
Uva: Malbec
Tipo: Tinto
Graduação alcoólica: 13,5%
Safra: 2021
Vinícola: Família Bebber
R$99,00
R$94,05 (5 de desconto) no Boleto, Transferência ou Depósito
..
Clássico, elegante e intenso. Família Bebber Reserva é uma linha de vinhos únicos que representem a excelência e expressão dos melhores varietais e terroires. São lotes limitados. Uvas colhidas na Serra do Sudeste à 450 metros de altitude na 4º semana de fevereiro. A passagem por barrica o torna um vinho com bom corpo.
Vinhedo: Serra do Sudeste
Classe: Fino
Classificação: Seco
Volume: 750 ml
Amadurecimento: 12 meses em barricas de carvalho francês e americano
Temperatura: 15 a 18 ºC
Potencial de guarda: 5 a 7 anos
Visual: Límpido e brilhante, rubi intenso.
Olfato: Notas de flores, rosas secas, pimenta negra e traços de especiarias.
Paladar: Bom corpo, com final de boca persistente e taninos macios.
Harmonização: Carnes vermelhas, churrasco e massas com molhos condimentados.
Faça um Comentário
Somente usuários cadastrados podem escrever avaliações. Por favor, faça seu login ou cadastre-se
Família Bebber

Saiba mais sobre a vinícola:

Uma união entre a tradição familiar no setor vitivinícola e o caráter de inovação que nasce com uma nova geração. O contexto da Vinícola Família Bebber, localizada no Travessão Alfredo Chaves, interior de Flores da Cunha, ladeado pelas encostas do Rio das Antas. A idéia de viver do vinho foi longamente amadurecida pelo enólogo Felipe Bebber e juntamente com seu pai e irmão, Valter e Rafael, deram início a retomada deste sonho, deixado no tempo pelos avós vitivinicultores. Buscando o melhor de cada terroir no estado do Rio Grande Sul a vinícola, ainda nova, já mostrou que seus vinhos possuem uma identidade única. Ganhadora de muitos prêmios nestes últimos anos, foi eleita pela Grande Prova de Vinhos do Brasil a Vinícola Revelação no ano de 2016 e o melhor Tannat do Brasil em 2017, com vinhos e espumantes repletos de medalhas. A proposta da Família Bebber é fazer vinhos que caiam no gosto do consumidor brasileiro, jovens, leves e elegantes. Mesmo os mais estruturados, segundo o enólogo, devem seguir esta vocação, com acidez e corpo equilibrados.